Exposições

As diferentes exposições realizadas em “A Arte da Terra” tem sido o pretexto para o implemento de parcerias culturais e artísticas de grande relevo.

Algumas das entidades com as quais a “A Arte da Terra” estabeleceu importantes Parcerias culturais foram:
Casa Museu José Régio, Museu Municipal de Portalegre, Museu da Olaria de Barcelos, Museu Municipal de Estremoz, Museu do Pão de Seia, Museu de Santa Maria de Lamas, Museu da Covilhã, Museu do Fado, Museu da Calheta, Ilha de S. Jorge, Açores, Museu de Lisboa – Santo António, Municípios de Barcelos, Estremoz, Lisboa, Odemira, Trofa e Vila Verde, Embaixadas dos países da UE em Lisboa, embaixadas da CPLP, Fábrica Bordallo Pinheiro e AFID – Fundação para a diferença.

A outro nível, destaque ainda para as parcerias, em exposições com os fadistas:
António Zambujo, Camané, Carlos do Carmo, Carminho, Cristina Branco, Katia Guerreiro, Mariza, Misia, Ricardo Ribeiro, e os estilistas Anabela Baldaque, Filipe Faísca, Nuno Baltazar e Nuno Gama e eventos musicais com Mário Pacheco e diferentes músicos e fadistas do clube do fado, a Fadista Sofia Ramos e o projecto magano, o saxofonista Joel.

No âmbito da representação e leitura de poesia, passaram pela “A Arte da Terra”, vários poetas populares, os atores Teresa Tavarese João Villas-Boas e o encenador Daniel Gorjão.

2019

Mais uma vez histórias de amores e desamores bordadas com arte. 21ª Exposição de um dos maiores exemplos de sucesso cultura e das artes portuguesas, mas uma vez em destaque em “A Arte da Terra”, mais uma vez, fruto de uma longa parceria com a Aliança Artesanal, com o Município de Vila Verde e com a cooperação fundamental de Conceição Pinheiro, (uma referência de relevo na recuperação desta arte em Portugal). António Vilela, Presidente do Município de Vila Verde, marcou presença na abertura da exposição.

O título diz tudo ou quase. Uma coleção de viaturas com dimensão média de 5 cm, construídas ao longo de anos com um rigor indiscritível, a provarem o talento enorme e a paciência do seu autor, o alentejano José Pascoal Duarte.

A Natureza sempre teve um papel fundamental na arte de José Costa. Aqui fornece a matéria prima, as arvores, com a elegância dos seus troncos e a dureza das suas raízes, quase sempre deixando pistas para uma escultura única.

Presença habitual em exposições coletivas em “A Arte da Terra”, desde há mais de década e meia, José Costa apresentou-se em nome próprio nesta exposição que destacou o talento de uma vida.

É sempre um dos eventos de relevo, de novo a reunir perto de uma centena de autores, e mais uma vez a integrar a Programação Oficial das Festas da Cidade de Lisboa.

Esta exposição serviu de apresentação oficial do 1º Santo António do Escultor Jorge Pé Curto, numa parceria com a empresa Duro Designs, onde marcaram presença a Assessora Cultural da Vereadora da Cultura de Lisboa, Catarina Vaz Pinto, em representação do Presidente da Camara, Dr. Fernando Medina e Dr. Pedro Teotónio Pereira, Diretor do Museu de Lisboa – Santo António.

A importância da Azulejaria na Arquitetura Tradicional Portuguesa, é algo absolutamente inquestionável e Lisboa é um dos maiores exemplos dessa riqueza artística e cultural.

Ana Paula Lopes, Ana Vilela, Cristina Pina, Dina Nunes, Elisabete Silva, João Gomes, Martinha Soares, Nober Sanders e Vanessa D’Azevedo foram os artistas convidados para esta exposição.

É um nome maior da Cultura Portuguesa e 2019 marca o Centenário de Sophia de Mello Breyner Andresen, com um vasto leque de eventos.

A “A Arte da Terra” desafiou cerca de duas dezenas de artistas para uma abordagem ao Universo de Sophia. O resultado, tão diverso quanto fascinante, levou a exposição a integrar a Programação Oficial das Comemorações. Uma das mais interessantes exposições realizadas em “A Arte da Terra”, a cuja abertura presidiu a Vereadora da Cultura de Lisboa, Drª Catarina Vaz Pinto.

2018

Escritas de Amor, com versos e reversos. Histórias de amores e desamores, sentimentos maiores, umas vezes correspondido, outras nem tanto… ou quase nada. 20ª Exposição de um dos maiores exemplos de sucesso cultura e das ates portuguesas nos últimos 20 anos.

Mais uma vez, fruto de uma longa parceria com a Aliança Artesanal, com o Município de Vila Verde e com a cooperação fundamental de Conceição Pinheiro, (uma referência de relevo na recuperação desta arte em Portugal) e que, mais uma vez incluiu um vasto leque de produtos inspirados neste icon da nossa cultura. António Vilela, Presidente do Município e Julia Fernandes, Vereadora da Cultura de Vila Verde, marcaram presença na abertura da exposição.

Tem mais de uma década, a parceria artística de “A Arte da Terra” com a Fundação AFID.
Diferença, com a presença regular – em diferentes exposições – de obras dos jovens que integram a Unidade Artística daquela Instituição de Solidariedade Social.

Agora surgiu o convite para uma exposição em nome próprio, com Telas (tecelagem manual), pintura e azulejaria, a provarem o talento enorme destes jovens. Maria Cavaco Silva, Domingos Rosa, Presidente da AFID e José Raposo, Vereador da Cultura do Município da Amadora, marcaram presença na abertura da Exposição.

Se o Mar sempre foi fonte inspiradora para o trabalho de Ana Vilela, no mundo da azulejaria, o Atlântico tem sido a “casa” para abordagens mais incisivas e inspiradoras.

Com Tritões e Medusas, a Mitologia Grega surge naturalmente no seio de um mar de peixes atlânticos, neste leque de trabalhos que Ana Vilela apresenta nesta Exposição em a “A Arte da Terra”, onde painéis de azulejo retratam lendas e habitantes naturais de um Oceano que nos é tão caro e tão próximo.

Tomar uma chávena de chá com Afonso da Maia, comentar a última toilette da Condessa de Gouvarinho ou criticar a exuberância da nova conquista de Dâmaso…

Só mesmo em a “A Arte da Terra”, a oportunidade de entrar na complexidade do mundo ficcional de Eça de Queirós e conhecer de perto algumas das personagens que fazem parte do universo de “Os Maias”.

Nesta fantástica exposição, o regresso a “A Arte da Terra”, em nome próprio, de Jorge Cerqueira para o reencontro com uma das mais notáveis obras da nossa literatura para partilhar connosco a sua visão de um leque de personagens que, embora perfeitamente integradas na sua época, são, acima de tudo, intemporais. Um evento cultural de relevo, a cuja abertura oficial, presidiu o Secretário de Estado da Cultura, Dr. Miguel Honrado.

É seguramente a maior fonte de inspiração artística, oriunda da Igreja. Pela “A Arte da Terra”, em exposições ao longo de quase duas décadas, passaram cerca de 7.000 peças, resultado da inspiração de mais de um milhar de artesãos, escultores, pintores, joalheiros, designers, juntamente com parte do espólio de vários Museus Nacionais, sobre o tema.

Em 2018, Santo António volta a estar em destaque em “A Arte da Terra”, com “Múltiplas Visões Artísticas de um Culto único” a 17ª Exposição que junta várias dezenas de artistas convidados, a novos autores que apresentam as obras resultantes do primeiro desafio lançado a nível nacional, pela “A Arte da Terra”, para a descoberta de novas inspirações artísticas sobre este culto.

Provavelmente uma das mais belas exposições de marionetas realizadas em Lisboa… razão pela qual regressou a “A Arte da Terra” em Agosto.

“Deixa-me Olhar-te Pássaro Real”. A frase, extraída do Poema “Meditação Magoada” do Poeta Ruy Belo, define, na perfeição, o conceito e a estética da coleção de obras de António Lourenço, que constituem esta exposição em “A Arte da Terra”.

A Natureza e os seus elementos são o ponto de referência no trabalho artístico de António Lourenço, presença constante na última década em “A Arte da Terra”, com variadas abordagens temáticas em exposições coletivas.

Mais de meia centena de artistas apresentaram a sua visão artística, do Nascimento de Jesus.

2017

Ícone da cultura portuguesa dos últimos 20 anos, mais uma vez em destaque na 19ª Exposição de Lenços Namorar Portugal realizada em “A Arte da Terra”.

Obras únicas resultantes das longas e frutuosas parcerias com a Aliança Artesanal e Maria da Conceição Pinheiro (um nome maior na recuperação desta arte em Portugal), marcaram esta grande exposição, mais uma vez a integrar o Programa Oficial Namorar Portugal, de Vila Verde.

Júlia Fernandes, Vereadora da Cultura de Vila Verde, visitou a exposição.

“Poemas de Terra” é uma exposição “onde o sonho se entrelaça com a natureza em formas e figuras idílicas, rasgando o imaginário das estações do tempo e da Terra”.

As palavras são do artista convidado, João Gomes, cujas obras e carreira tem merecido especial atenção em “A Arte da Terra”.

16ª Exposição de a “A Arte da Terra” sobre esta figura maior da igreja e da cultura universal, inspirador de artistas de diferentes gerações e correntes.

Evento integrado – desde 2007 – no Programa Oficial das Festas da Cidade de Lisboa, há muito que esta exposição atingiu dimensão nacional, reunindo centenas de obras de dezenas de autores portugueses.

O Museu de Lisboa Santo António e o Museu de Arte Sacra da Covilhã, são os museus convidados especiais.

A história do Azulejo é indissociável da história de Lisboa, povoada de mitos e de lendas, de ligações ao mar (sempre o mar)…

Cerca de 20 dos melhores artistas na arte da azulejaria responderam ao desafio de a “A Arte da Terra”, numa fascinante seleção de (centenas) obras, numa das formas artísticas mais marcantes da nossa cultura: o azulejo.

É inquestionável a importância da azulejaria pombalina, no panorama arquitectónico de Lisboa, ainda que seja a parte menos exposta de um universo artístico cada vez mais apreciado.

O interior das casas e dos palácios, escondem jogos de azulejaria e arte, fundamentais na reconstrução da cidade em tempo de Marquês de Pombal.

Martinha Soares, cuja paixão pela arte cerâmica, tem sido evidente, também através da sua presença constante em “A Arte da Terra”, surgiu aqui em Exposição em nome próprio.

A convite do Município e da Biblioteca de Sesimbra, apresentámos uma seleção de presépios da autoria de duas dezenas dos melhores artistas portugueses com abordagens ao tema.

2016

Foi seguramente a mais rica (culturalmente) exposição de Lenços Namorar Portugal realizada em Lisboa. Lenços originais da coleção privada de Maria da Conceição Pinheiro (um nome maior no que respeita ao estudo e recuperação desta arte em Portugal) em conjunto com a coleção da Aliança Artesanal, a Exposição incluiu um vasto leque de produtos Namorar Portugal, tendo ainda como convidados especiais os estilistas Anabela Baldaque e Fernando Nunes.

Maria Cavaco Silva, esposa do presidente da República, Aníbal Cavaco Silva preside á abertura da exposição, na sua 6ª visita oficial a “A Arte da Terra”, que conta ainda com as presenças de António Vilela, Presidente do Município de Vila Verde e Julia Fernandes, Vereadora da Cultura de Vila Verde.

Pensámos em Fernando Pessoa. Primeiro, o princípio de que o desafio faria sentido. Depois que, o mesmo só faria ainda mais sentido, se se destinasse a artistas para quem Pessoa fosse muito mais do que apenas mais um Poeta Português.

Convidados cerca de duas dezenas de “Artistas em…Pessoa”, com um resultado que ultrapassou todas as expectativas: um leque de trabalhos tão fascinantes quanto diferentes entre si, mas todas eles resultantes da arte de saber transpor para as suas obras, o peso e o sentido das palavras desse nome maior da cultura universal que é Fernando Pessoa.

Mais de meia centena de autores portugueses convidados para uma abordagem abrangente das artes da terra de Santo António, Lisboa: Marchas, Festas, Sardinhas e Santo António, obviamente…

Em ano de 20º aniversário, voltamos a convidar alguns dos Museus que tinha marcado presença no passado, com assinalável êxito: Casa Museu José Régio de Portalegre (com 3 obras do sec XVII), Museu de Olaria de Barcelos, Museu de Santa Maria de Lamas e Museu de Lisboa – Santo António (com peças de cerâmica datadas de 1935, sobre as Festas de Lisboa).

Colaboração da Marcha de Alfama e presença – mais uma vez – da AFID – Fundação para a Diferença.

Em tempo de 20º aniversário de a “A Arte da Terra”, e integrado no Programa de Comemoração do 5º aniversário da nomeação do Fado como Património Imaterial da Humanidade, lançámos o desafio a duas dezenas de artistas portugueses (escultores e pintores) para uma abordagem ao universo do Fado.

“Fado – A Arte para além dos sons, para além das palavras…” reuniu obras inspiradas no Fado, nas suas histórias, que vão dos locais mal afamados da Lisboa do século XIX, ás maiores salas mundiais onde hoje se apresenta, tendo como base amores e desamores, encontros e desencontros, reconhecido mundialmente como, genuinamente português, sob a designação de… Fado.

Para além da colaboração do Museu do Fado, a exposição incluiu ainda peças que comprova o reconhecimento nacional e internacional dos mais importantes nomes do Fado, como Carlos do Carmo, Mariza, Camané…

A frase, repetida milhões de vezes nesta Terra, assume aqui um sentido muito especial, tendo sido o mote do desafio lançado a mais de meia centena de artistas convidados.

A “A Arte da Terra” destacou – na 16ª Exposição de Presépios – o trabalho dos artistas nacionais, reunindo um leque de autores clássicos e contemporâneos, apresentando assim a riqueza e a diversidade artística nacional sobre este tema.

2015

17ª Exposição sobre este tema de cada vez maior relevo no panorama Cultural português, e mais uma vez integrada na vasta programação de Namorar Portugal, evento da organização do Município de Vila Verde.

A pergunta foi o ponto de partida para o desafio de “A Arte da Terra”, a mais de uma dezena de artistas portugueses, para uma abordagem contemporânea ao 25 de Abril.

Em comum, a maioria dos convidados tem o facto de, em 1974, serem crianças ou estarem ainda para nascer.

14ª Exposição sobre o culto de Santo António, com obras de cerca de uma centena de autores. Mais uma vez a integrar o programa das festas de Lisboa e, tendo este ano como convidado especial, o Museu de Lisboa – Santo António.

Catarina Vaz Pinto, Vereadora da Cultura de Lisboa e Pedro Teotónio Pereira, Director do Museu convidado, estiveram na abertura da exposição.

Uma parceria de “A Arte da Terra” com o município de Barcelos, com mais de 250 obras de 37 artistas da cidade minhota, resultou numa das maiores exposições realizadas sobre um dos maiores ícones da cultura popular portuguesa e, símbolo do turismo nacional.

Um importante leque de peças do Museu de Olaria de Barcelos, incluindo Galos datados dos anos 30 e 40 do século passado, complementou culturalmente a exposição.

Artistas no Feminino, num universo artístico de difícil – e desnecessária – catalogação. Entre a cerâmica, a azulejaria e um misto de materiais (madeira, cerâmica, entre outros). Três artistas mostram um talento maior, cimentado em vários anos de dedicação à arte e ás artes.

Desafiámos Ana Sobral, Ana Vilela e Silvyane Lehuby, para uma abordagem, “No feminino”, que é como quem diz, uma exposição das suas próprias artes, das suas visões artísticas do universo feminino, com obras que reflectem a sua essência feminina.

Catarina Vaz Pinto, Vereadora da Cultura do Município de Lisboa, presidiu a abertura.

Por aqui passaram nomes lendários do artesanato nacional, escultores pouco óbvios nestas coisas de presépios, autores contemporâneos e pouco tradicionais, e jovens artistas, numa exposição que vai na sua 15ª edição e que se assume uma referência nacional no tema.

Mais de 80 artistas apresentaram centenas de obras. A AFID – Fundação para a Diferença, mais uma vez marcou presença artística em exposições em “A Arte da Terra”.

2014

16ª Exposição de Lenços Namorar Portugal, de novo parte integrante do Programa Namorar Portugal, evento realizado pelo Município de Vila Verde. Vários produtos inspirados neste tema, apresentam-se pela primeira vez em exposição em “A Arte da Terra”.

Um mega lenço (provavelmente o maior lenço do mundo) é apresentado pela 1ª vez em Lisboa, nesta exposição.

De novo o culto a Santo António, mas sempre novo, sempre com novas vertentes artísticas, novos autores. De novo a inclusão e o destaque nas Festas da Cidade de Lisboa.

Perto de uma centena de autores deixou-se Influenciar pelo tema, apresentando obras de grande interesse.

Um “mar” de sardinhas “inundou” a “A Arte da Terra”…
Uma instalação de grandes dimensões (com mais de 300 sardinhas) Da autoria de Inês Areal Silva, deixou antever que se tratava de muito mais do que uma exposição sobre sardinhas. 20 escultores convidados inspiraram-se no mais novo icon da cultura pop lisboeta.

Pelo 2º ano consecutivo, a convite do Turismo de Portugal, apresentámos um leque de dezena e meia de peças sobre o Natal, na sede daquela instituição em Lisboa.

14ª Exposição de Presépios, cerca de uma centena de autores (algumas Estreias e o Museu de Olaria de Barcelos com todas as obras das Lendas de Barcelos, sobre este tema, expostas pela 1ª vez em Lisboa).

Mais de 600 peças, numa exposição visitada pelo Secretário de Estado do Turismo, Adolfo Mesquita Nunes.

2013

Sempre os sentimentos, de amor e de ausência dele, expostos na arte dos Lenços Namorar Portugal. Exposição integrada de novo no Programa Namorar Portugal e visitada por Julia Fernandes, Vereadora da Cultura de Vila Verde.

Os estilistas Filipe Faisca e Nuno Baltazar foram os Convidados especiais desta exposição.

A Cultura como pólo de união entre Portugal e o Brasil.

Os nomes Maiores dos dois lados do Atlântico (Niemayer, Pessoa, Vinicius, Saramago, Drummond de Andrade, António Zambujo ou Carmem Miranda) foram os nomes inspiradores para as obras de 16 artistas.

O culto antoniano na 12ª exposição em a “A Arte da Terra”, pelo 6º ano Consecutivo no Programa das Festas de Lisboa. Cerca de 100 escultores, artesãos, pintores apresentaram centenas de peças inspiradas em Santo António, que foi também o inspirador das obras apresentadas pelo Museu de Santa Maria de Lamas, o convidado especial desta exposição.

Mais de uma dezena de artistas (selecionados pelas entidades culturais Dos Açores) integrou a exposição, a convite de “A Arte da Terra”, marcou forte presença cultural neste evento sobre o culto Antoniano.

Uma “estória” quase trágica, quase cómica, passada no Alentejo, no sec XX, saída da imaginação e talento de Vanda Palma, em forma de Livro e Em Cerâmica.

Quase cem artistas (várias estreias) numa exposição de presépios que mostra a modernidade de um tema com séculos de vida. AFID – Fundação para a Diferença e Museu de Santa Maria de Lamas são os convidados especiais desta 13ª exposição em “A Arte da Terra”.

Maria Cavaco Silva, esposa do presidente da Republica, Aníbal Cavaco Silva preside á abertura da exposição, na sua 5ª visita oficial a “A Arte da Terra”.

Pela 1ª vez, a convite do Turismo de Portugal, apresentámos um leque de dezena e meia de peças sobre o Natal, na sede daquela instituição em Lisboa.

2012

Integrada no Programa Namorar Portugal de Vila Verde, para além de uma Coleção de Lenços Namorar Portugal, inclui várias peças de cerâmica inspiradas no tema.

António Vilela, Presidente do Municipio de Vila Verde, visitou a exposição, acompanhado de Manuel Barros da Proviver e Mota Alves, presidente da ATAHCA.

Desde o sec XVI que a história do azulejo é indissociável da história de Lisboa. Foi essa ligação que apresentámos nesta exposição que reuniu oito dos melhores artistas na arte da azulejaria.

Cem artesãos, escultores, pintores e joalheiros, numa grande exposição que contou com a presença, como convidado, do Museu de Santa Maria de Lamas e que mais uma vez continuou a integrar o Programa das Festas de Lisboa.

 

Credos, temores e Devoções sempre foram terreno propicio para a Inspiração da imensa e rica comunidade artística de Barcelos.

Foi esse resultado que marcou presença nesta exposição que, para além de 23 Artistas de Barcelos, incluiu peças do importante espólio do Museu da Olaria de Barcelos, mais uma vez numa parceria de sucesso com o Turismo e o Município de Barcelos.

Deambulando ao sabor das suas memórias, Jorge Cerqueira trouxe-nos uma exposição introspectiva, despreocupada, desconcertada e desconcertante.

O despertar de emoções entre as histórias infantis e a representação da morte, com o fascinio do mundo das marionetas.

Mais de meio milhar de obras, 90 artistas reinventaram e reinventaram-se No mundo dos Nascimentos, do Nascimento…. Sagrado.

O Museu Municipal de Aveiro, foi convidado especial desta exposição que, pela sua dimensão cultural, foi visitada pelo Secretário de Estado da Cultura, Jorge Barreto Xavier.

2011

É a 13ª exposição em parceria com a Aliança Artesanal e o Município de Vila Verde.

A estilista Anabela Baldaque foi a convidada especial para apresentar As suas obras inspiradas nos lenços…

800 obras de 100 artistas e convidados especiais especiais com obras de Elevado nivel cultural: Museu da Olaria de Barcelos, Museu Municipal de Estremoz (coleção de peças do Sec XVIII), Museu Municipal de Portalegre (coleção de peças sec XVII e XVIII) e Fabrica Faianças Bordallo Pinheiro.
Maria Cavaco Silva, esposa do Presidente da República, regressou à “A Arte da Terra” para presidir a abertura desta exposição.

Antecipámos o que só podia acontecer: o fado é Património Imaterial da Humanidade. 20 escultores e pintores transformaram os acordes em arte.

Uma exposição emblemática que mostrou ao mundo a importância do Fado. António Zambujo, Camané, Carminho, Cristina Branco, Katia Guerreiro, Mariza, Misia e Ricardo Ribeiro, nomes maiores do fado, fizeram parceria com a “A Arte da Terra”, apresentando peças que atestaram a importância das suas vozes, da sua musica, da sua arte… enfim, do Fado.

Novas correntes artísticas, novas gerações ao lado de artistas consagrados. 11 ª exposição de presépios com os convidados especiais: AFID Fundação Para a Diferença, Fabrica Bordallo Pinheiro (com escultura de 1942 com 1ª apresentação publica nesta exposição) e Museu da Cidade de Aveiro.

2010

Em todas as áreas – e os Lenços Namorar Portugal não fogem á regra – a “A Arte da Terra” tem como principio a conjugação de Tradição e Modernidade.

Com o vasto e rico leque de Lenços Namorar Portugal presentes na Exposição, Juntámos as obras inspiradas nesta temática, do estilista Nuno Gama.

Colaboração na Exposição de Lenços Namorar Portugal na Escola de S. Roque Do Pico, na Ilha do Pico, Açores

Porque o fado integra de forma definitiva a essência de ser português, a “A Arte da Terra” desafiou cerca de duas dezenas de artistas contemporâneos para que, com a alma nas mãos, dessem asas á sua imaginação e talento.

Uma exposição que contou com a colaboração do Museu do Fado e dos Grandes nomes do fado: Carlos do Carmo, Cristina Branco, Mariza e Misia.

80 artistas convidados e as Participações Especiais do Museu da Olaria de Barcelos (com o seu rico espólio de arte popular), da Fabrica de Faianças Bordallo Pinheiro e Museu Bordallo Pinheiro de Lisboa, marcaram este evento que, pelo 3º consecutivo integrou o Programa Das Festas de Lisboa

O Museu Municipal de Estremoz, com um leque riquíssimo de obras dos sec XVII e XVIII, acompanhado de mais de um dezena dos melhores artesãos daquela Cidade Alentejana, juntou-se aos cerca de 100 artistas convidados para esta nova abordagem ao universo dos Presépios.

2009

Os Lenços Namorar Portugal de novo numa exposição que se tornou um Evento incontornável todos os anos em fevereiro, em “A Arte da Terra”

Numa parceira com o Turismo e o Município da Trofa, uma exposição que mostrava o talento (quase ignorado) dos escultores de Arte Sacra de São Mamede do Coronado.

Autores do melhor que se faz em Portugal e que “habita” Catedrais pelo mundo, incluindo o Vaticano, nesta matéria, estiveram nesta exposição, que teve em Augusto Ferreira (um dos mais jovens e talentosos escultores de arte sacra) um grande entusiasta.

90 artistas apresentaram as suas obras em mais uma grande exposição sobre Santo António, que voltou a integrar o Programa das Festas de Lisboa.

O universo fantástico do figurado de Barcelos, numa exposição que reuniu obras de 21 dos melhores artistas de Barcelos, para além de peças das lendas do artesanato português, Ana Baraça, Domingos Lima (Mistério), Maria Sineta, Rosa Ramalho e Rosa Côta, nunca anteriormente expostas.

Foi o resultado de uma parceria de relevo com o Museu da Olaria, Município e Turismo de Barcelos.

Cerca de um centena de artesãos, escultores e pintores, mostram a diversidade Artística do tema.

2008

De novo os Lenços Namorar Portugal, chegaram de Vila Verde para se Apresentarem na capital.

A exposição integrou ainda desenhos dos alunos dos ateliers realizados no Museu de São Jorge nos Açores, sobre a exposição de Lenços Namorar Portugal realizada naquele Museu, no Verão de 2007.

A encenação de Pedra, abordou agora a temática da Páscoa, através de Xica.

Pela sua dimensão cultural e artística crescente, a Exposição integra pela 1ª vez o Programa das Festas de Lisboa. 80 artistas convidados.

Casa Museu José Régio de Portalegre é o primeiro Museu a ser convidado a integrar exposições em a “A Arte da Terra”. Uma coleção de Santo Antónios dos Sec XVII e XVIII enriquecem culturalmente a exposição.

S. João é o Padroeiro de Almada e o Município local convidou a “A Arte da Terra” a apresentar uma selecção de obras sobre S. João, no Posto de Turismo Da Costa da Caparica.

Numa grande parceria com o Município e o Turismo de Barcelos, mais de duas dezenas de artistas da cidade do galo, apresentaram obras únicas sobre este tema mundialmente conhecido, na 1ª grande exposição de Galos em Lisboa.

Com todo o seu esplendor, os Galos de Barcelos estiveram em “A Arte da Terra”.

Oito artistas convidados para uma abordagem sem limites ao universo dessasossegado do poeta.

A ex-Ministra da Cultura, Isabel Pires de Lima marcou presença na abertura, durante a qual decorreu uma palestra sobre a vida e obra de Pessoa. A inimaginável receptividade do publico estrangeiro ao tema, foi uma das surpresas desta (artisticamente) inesquecível exposição.

Em tempos de maior divulgação da lingua Portuguesa no Mundo, convidámos todos os países da CPLP, para nós mostrarem exemplos das suas artes á volta do nascimento de Jesus. Angola, Brasil, Cabo verde, Guiné, S. Tomé e Principe, Moçambique e Timor marcaram presença imediata, neste evento que reuniu cerca de uma centena de autores portugueses.

Maria Cavaco Silva, esposa do Presidente da Republica, Anibal Cavaco Silva presidiu á abertura da Exposição onde marcou ainda presença o Embaixador Brasileiro na CPLP.

2007

Maria Cavaco Silva, esposa do Presidente da Republica, Anibal Cavaco Silva, regressa a “A Arte da Terra” (agora em Lisboa), para presidir á abertura de mais uma grande exposição de Lenços Namorar Portugal, onde marcaram presença Pedro Rapoula, Acessor Cultural do Presidente da República, Maria João Seixas em representação do Presidente da Camara de Lisboa, Carmona Rodrigues, e direcção da Aliança Artesanal, Paula Isaias e Conceição Pinheiro

Isabel Pires de Lima, Ministra da Cultura, de regresso a “A Arte da Terra”, para conhecer o novo espaço e presidir á inauguração da exposição que contou com centenas de obras da autoria de cerca de 50 artistas, sobre a temática da Páscoa. Por decisão da Ministra da Cultura, as comemorações oficiais do Dia Mundial Da Poesia, ocorreram em simultâneo em “A Arte da Terra”, com a presença de Vários poetas populares do Alentejo e do Algarve.

A obra única de João Gomes, aqui sobre a arquitectura tradicional portuguesa, de volta a “A Arte da Terra” em forma de exposição individual.

Foi uma exposição muito especial: foi a 1ª grande exposição de Santo António realizada pela “A Arte da Terra” em Lisboa, a escassos metros da Casa onde nasceu Santo António, e no centro de todos os festejos lisboetas de Santo António.

E visitada no dia de Santo António por um dos maiores estudiosos do tema, Padre Vitor Melicias. 100 artistas apresentaram centenas de obras, com as suas visões do culto… numa das exposições mais mediatizadas.

O Museu de São Jorge, na Calheta e a A Arte da Terra, apresentaram a Primeira Exposição de Lenços Namorar Portugal nos Açores, com uma Coleção de Lenços da Aliança Artesanal, numa exposição que se constituiu num dos mais relevantes acontecimentos culturais culturais nos Açores, no Verão de 2007.

Portugal preside á UE e a “A Arte da Terra” convida todos os países da União Europeia, através das suas embaixadas em Lisboa, para apresentarem obras emblemáticas dos seus países, sobre este tema.

A resposta foi entusiasta e surgiram obras excelentes de países como Finlândia ou Lituânia, Letónia ou Holanda, passando pela França, entre outros.

Uma diversidade artística única, apresentada nesta exposição que ultrapassaria fronteiras… artísticas.

A convite do Município de Almada, Organização de Exposição de Presépios no Posto de Turismo da Costa da Caparica, com uma seleção de cerca de 30 obras.

2006

Os Lenços Namorar Portugal continuavam a ser um tema cada vez mais em relevo e a parceria com a Aliança Artesanal continuava a dar frutos.

Mais uma grande exposição, para cuja abertura, convidamos a Ministra da Cultura, Isabel Pires de Lima, que visitou a “A Arte da Terra”, pela 1ª vez.

A convite do Jornal A Palavra e do Município de Reguengos de Monsaraz, Colaborámos de forma intensa (com a seleção de dezenas de autores) na Realização da Exposição que assinalava os 40 anos daquele jornal local.

Uma abordagem aos Santos Populares. Uns mais populares que outros, O universo dos Santos de “Junho” foi apresentado por dezenas de autores. Maria Cavaco Silva, esposa do Presidente da Republica, Anibal Cavaco Silva, Preside á inauguração da Exposição na qual estão outros convidados: Pedro Rapoula, acessor Cultural do Presidente da República, José Gonçalves, Vice Presidente da Camara de Almada, D. Gilberto Reis, Bispo de Setúbal e Guilherme Santa Ritta em Representação do Presidente Camara Lisboa, Carmona Rodrigues.

É anunciada publicamente a mudança de “A Arte da Terra” de Almada para Lisboa.

Primeira exposição de “A Arte da Terra” depois da mudança para Lisboa. Centenas de obras enquadradas por um arvore de natal com 7 metros de altura, com mais de 2.000 folhas de arvore, marcaram o primeiro natal de “A Arte da Terra”, junto á Sé de Lisboa.

Um presépio único, constituído por peças de duas dezenas de autores, concebidas para o evento, constituiu um ponto acrescido de interesse nesta exposição.

2005

Mais uma grande exposição de Lenços Namorar Portugal, numa parceria que dava frutos culturais de relevo, com a Aliança Artesanal de Vila Verde.

Em simultâneo apresentámos uma exposição de Lenços Namorar Portugal na Biblioteca Municipal de Nisa.

Aumenta a seleção de artistas. 75 dos mais importantes artistas nacionais, com mais de 350 obras, integram a exposição, visitada por um dos maiores conhecedores do tema, o Padre Vitor Melicias.

De novo a encenação de pedra, com o talento de Xica. Mário Vieira de Carvalho, Secretário de Estado da Cultura aceita o convite de “A Arte da Terra” para visitar a exposição.

João Geraldes, Chefe de Gabinete, Presente em representação da Presidente da Camara de Almada.

O tema do nascimento de Jesus inspira três dezenas dos grandes nomes do artesanato em Portugal.

2004

Depois de quase dois anos de pesquisa junto dos Municípios e da Imprensa do Alentejo e dos Açores, cerca de 3 dezenas de Lenços, com mais de 80 anos, juntam-se aos Lenços Namorar Portugal de Vila Verde, neste grande esposição.

Três professoras de Reguengos de Monsaraz, ao trabalharem o tema dos Lenços Namorar Portugal, com os seus alunos, depois de uma visita a “A Arte da Terra”, tinham feito esta descoberta numa pequena aldeia local.

Maria José Ritta, esposa do Presidente da Republica, Jorge Sampaio, visita de novo a “A Arte da Terra”, para presidir á inauguração. João Geraldes, Chefe de Gabinete da Presidente da Camara de Almada (em representação da Presidente) Fernando Gaspar, Director do PPART, Ana Duarte, Vereadora da Cultura de Reguengos de Monsaraz, marcam presença.

Uma abordagem artística á morte e ressureição de Cristo. 38 artistas convidados com um leque fascinante de obras.

Margarida Sousa Uva, esposa do Primeiro Ministro, José M. Durão Barroso, Preside á inauguração da Exposição, que conta com as presenças de André Dourado, Acessor Cultural do Primeiro Ministro e de José Geraldes, Chefe de Gabinete, em representação da Presidente da Camara de Almada, Maria Emilia de Sousa.

54 artistas portugueses participaram nesta exposição. O interesse neste tema e a sua apresentação publica, era crescente. Quer junto dos artistas, quer da Imprensa.

32 artistas aceitaram o desafio para uma das grandes abordagens da vida, a Maternidade, apresentando 76 obras marcantes.

2003

O tema continua em crescendo de interesse. Junho – Santo António – Visões de um Culto Primeira grande abordagem artística colectiva ao culto de Santo António. 37 artistas de todo o país apresentam as suas obras.

Primeira grande abordagem artística colectiva ao culto de Santo António, em “A Arte da Terra”. 37 artistas de todo o país apresentaram as suas visões deste culto popular.

Xica regressa a “A Arte da Terra” para uma encenação de Cristo. José Amaral Lopes, Secretário de Estado da Cultura, preside á inauguração.

2002

Augusto Santos Silva, Ministro da Cultura, preside á abertura da Exposição na qual marcam presença José Lourenço, Vice Presidente da Camara de Almada, Antonio Vilela, Vereador da Cultura de Vila Verde, Fernando Gaspar, Director do PPART, Ana Pires, Delegada do Ministério da Cultura na Região Centro, Ana Maria Braga da Cruz, Presidente da CIDM e as responsáveis da Aliança Artesanal, Maria da Conceição Pinheiro e Paula Isaias.

João Gomes mostrou os seus “retratos” em cerâmica, da Arquitectura Tradicional. Pedro Roseta, Ministro da Cultura, presidiu á abertura da exposição, tendo ainda marcado presença Fernando Gaspar, Director do PPART, e Ana Pires, Delegada do Ministério da Cultura na Região Centro, entre outros.

A Arte Sacra, alvo de encenação de Pedra, em nova abordagem de uma artista única nesta arte: Xica

2001

Maria José Ritta, esposa do Presidente da República, Jorge Sampaio, presidiu á Abertura da Exposição e marcou o inicio de uma vasta lista de convidados de “A Arte da Terra” para a abertura de diversas exposições. A Presidente e o Vice-Presidente da Câmara de Almada, Maria Emilia de Sousa e José Lourenço, respectivamente, Fernando Gaspar, Director do PPART, Abilio Vilaça, Presidente da ADEREMINHO, para além das Responsáveis da Aliança Artesanal, Maria da Conceição Pinheiro e Paula Isaias. Pela 1ª vez, um Lenço da Região de Estremoz (com cerca de 150 anos) é mostrado publicamente. 3 páginas na Revista do Semanário Expresso, mostram o crescimento deste tema e a importância desta exposições em “A Arte da Terra”. 

Xica, trouxe as suas pedras da Costa Vicentina, encenadas em Santo António. José Lourenço, Vice-Presidente da Camara de Almada, esteve na abertura da Exposição.

2000

Xica, pioneira da Encenação de Pedra em Portugal, apresentou a sua “visão” Do Natal.

1999

1ª Grande Exposição de Lenços Namorar Portugal realizada na Grande Lisboa. O desconhecimento do tema, por parte do publico e da imprensa, era quase Total.

Helena Lourenço (ceramista) foi uma das nossas primeiras grandes escolhas, e a primeira com exposição individual.

1998

Vestuário de Burel, Lenços Namorar Portugal, Cerâmica de Gerês e Peças em ferro, foram alguns dos produtos presentes.